terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Pavlov, Watson e Skinner -Comportamentalismo e Educação

O COMPORTAMENTALISMO - ou BEHAVIORISMO => termo criado pelo pesquisador John B. Watson.
As ideias de Watson ficaram conhecidas como Behaviorismo Metodológico. Antes de Watson => Ivan Petrovich Pavlov foi um renomado fisiologista que traçou as bases desse paradigma.
 Outro expoente desse paradigma => foi Burrhus F. Skinner. Sua abordagem é denominada Behaviorismo Radical.
O afastamento de conceitos não-observáveis.Para que a psicologia seja considerada ciencia deve-se observar o tipo de fenômeno a ser estudado.

Watson
Uma psicologia científica não deve ousar dedicar-se a compreender o ser humano por intermédio da introspecção e nem conceituar aquilo que não é passível de ser objetivamente apreendido.

Como por exemplo:o inconsciente psicanalítico e os estados mentais a ele atribuídos só podem ser visualizados com base numa avaliação interna - introspectiva, portanto - da pessoa. Não há meios de provar cientificamente o inconsciente. A ideia de que exista um espaço inacessível à vida consciente, habitado por energias psíquicas reprimidas, não pode ser aceita por não haver meios de verificá-la com objetividade.

* Para ser aceita no rol das ciências, a Psicologia deve adotar como objeto de estudo tão-somente aquilo que pode ser observado e descrito em termos tão elementares que dispense a subjetividade. A esse objeto de investigação deu-se o nome de comportamento.

Comportamento => é a expressão visível de um organismo, aquilo que pode ser registrado e quantificado.
 Todo o empenho teórico do Comportamentalismo(BEHAVIORISMO) é voltado para a compreensão dos fatores relacionados como antecedentes e consequentes ao comportamento.
O comportamento, portanto, é uma resposta do organismo a algo que o impressiona a partir do exterior, os estímulos.
 A delimitação desses componentes como objeto de estudo deu ao Comportamentalismo a denominação E-R, estímulo-resposta. concebe o ser humano como se fosse uma "caixa preta", um recipiente lacrado e indevassável sobre cujo interior nada podemos afirmar.

O Behaviorismo Radical de Skinner, Introduziu algumas ampliações nesse paradigma, especialmente ao incluir os tais fatores internos no âmbito das possibilidades de estudo de uma ciência do comportamento.Passou a considerar os fenómenos não diretamente observáveis, que ele chamou eventos privados, como comportamentos também.
A inovação teórica de Skinner => consistiu em admitir o estudo de pensamentos e sentimentos desde que estes sejam abordados por intermédio de suas manifestações exteriores.
Por exemplo: manifestação de "tristeza", ou estudar o comportamento verbal que ele emite quando se diz "deprimido. O que está em causa são as relações funcionais entre o relato de um estado interior, como a tristeza, e os fatores ambientais a que o organismo está submetido - a morte de uma pessoa próxima ou um fracasso profissional.
Excluindo-se os dados objetivos, tudo o mais será mera especulação.

Uma concepção de educação
A visão elaborada pelos comportamentalistas sobre o ser humano implica a possibilidade de serem conhecidos os fatores que determinam o comportamento de indivíduos e mesmo de grupos.
 o Comportamentalismo fornece uma perspectiva de entendimento do ser humano que viabiliza modificar o comportamento numa direção previsível, viabilizando o controle das ações da pessoa e a obtenção segura de resultados. Quanto à possibilidade de controle do comportamento humano, Watson era categórico. Considerava ser possível transformar o indivíduo, por meio de educação ou de reeducação, naquilo que desejamos.
 É célebre sua afirmação de que poderia tomar um recém-nascido e torná-lo tanto um homem honesto quanto um marginal corrupto.

A aprendizagem segundo Pavlov
Em seu laboratório de fisiologia, onde estudava a salivação em cães, Pavlov acabou elaborando uma teoria da aprendizagem.
Deu o nome de resposta.natural ao comportamento de salivar, uma vez que ele surge diante de um estímulo que naturalmente o produz - o alimento.
Mais tarde Pavlov mudou essa denominação para resposta incondidonada e chamou de estímulo incondicionado o tipo de estímulo que a produz. Verificou em suas pesquisas que se um estímulo qualquer, o som de uma campainha, por exemplo, fosse emitido repetidamente junto com a apresentação da carne, o animal obviamente salivava.
 O som, nesse caso, é um estímulo neutro, pois não é ele que produz a salivação, mas sim o alimento.
 Com o tempo, entretanto, o animal passava a salivar diante do som, mesmo na ausência do alimento.
 Pavlov intitulou resposta condicionada a esse tipo de salivação, controlada por um estímulo que antes era neutro - o som da campainha. A este som denominou, então, estímulo condicionado.

Esquema:

Estímulo incondicionado resposta incondicionada


Alimento + estímulo neutro resposta condicionada



Estimulo condicionado: Esse modelo de aprendizagem chama-se condicionamento e pode ser observado com facilidade em nosso dia-a-dia.
De modo semelhante ao cão de Pavlov, também salivamos ao ver os pratos sobre a mesa, mesmo antes de servida a refeição, o que significa termos passado por um processo de condicionamento.
Pavlov via o psiquismo humano como urn conjunto de conexões - ou associações, como ele dizia - entre estímulos e respostas.

A aprendizagem segundo Skinner
 O criador do Behaviorismo Radical realizou seus experimentos clássicos com ratos de laboratório em uma gaiola, que ficou famosa como Gaiola de Skinner, ou Câmara Operante.Colocado em seu interior, o rato movimentava-se com agilidade, tocando a alavanca algumas vezes. Aumentar a freqüência desse comportamento era o objetivo de Skinner.
 Observe-se que esta e a mesma situação de um professor - ou de uma mãe - que deseja ver aumentada a freqüência de um comportamento desejável qualquer.

Por exemplo: O educador pretende que seu educando passe a repetir, cada vez mais, a resposta de tratar amigavelmente seus colegas.

Como fazer isso? Fornecendo um estímulo do qual o organismo - seja a criança, seja o rato de laboratório - esteja privado.
 No experimento com o rato se ele estiver a algumas horas sem comer, basta ligar um mecanismo que, a cada toque na alavanca, introduza alimento no comedouro. O comportamento desejável de acionar a alavanca terá sua freqüência aumentada de modo rápido e significativo.
Tecnicamente, damos o nome de reforçador ao estímulo que produziu esse efeito - o alimento, no caso. O procedimento chama-se Condicionamento Operante, pois o resultado obtido depende de urna atuação - uma operação - do organismo que altera o ambiente físico. Note-se que Skinner entendia que somos o resultado de interações que mantemos com nosso
ambiente.
 A visão de Watson era diferente, nesse ponto, ao afirmar que o indivíduo é totalmente moldável pelas influências que o cercam.
 Segundo a concepção skinneriana, nosso repertório de comportamentos é estabelecido com base naquilo que o ambiente fornece e, também, dadas às disposições ambientais, esse mesmo repertório é por nós modificado tendo em vista os reforçadores que almejamos.


Por exemplo:
 Uma criança aprende a fazer birra - aquele tipo de choro insistente, teimoso e provocativo - quando a mãe, cansada de repreendê-la, cede a seus apelos e lhe dá a bala que ela insistentemente pede. No futuro, em condições semelhantes, é provável que a criança repita o mesmo comportamento.
Em ocasiões parecidas com essa, quando a birra não for efetiva para produzir o efeito de conseguir a bala, a criança poderá lançar mão de outros comportamentos, como chorar mais alto, espernear ou bater a cabeça na parede. Se a mãe ceder, esses novos comportamentos passam a integrar uma classe de comportamentos, todos eles capazes de produzir a mesma conseqüência.

Características técnicas do Comportamentalismo

Aspectos negativos Aspectos positivos
Raramente fazendo referência a seres humanos.
Igualam homens e animais inferiores Os estudos feitos com infra-humanos ,são úteis porque muitos de nossos comportamentos podem ser melhor analisados nesses animais, sem que haja necessidade de submeter pessoas a determinadas situações de laboratório.
Característica dificultadora da transposição do
Comportamentalismo para situações reais de vida e para
a escola, em particular. Desconsiderando a peculiaridade psicológica, histórica e cultural do homem.


Alguns esquemas de reforçamento
Muitas conclusões obtidas por intermédio das estratégias experimentais do Comportamentalismo podem servir de inspiração ao trabalho do professor.
 Alguns experimentos delineiam esquemas que podem ser razoavelmente generalizados para qualquer situação, inclusive a escola.



Por exemplo:

Tomemos o caso da criança que desenvolveu o comportamento de fazer birra. Se a mãe desejar que esse comportamento não mais se manifeste, ela pode proceder a determinados arranjos de contingências que levem à extinção do mesmo. Não fornecendo a bala que instalou o comportamento inadequado, a frequência da resposta birra tende a ser nula.
Outro esquema, nesse mesmo caso, poderia ser a apresentação de um estímulo aversivo — ou reforçador negativo.
A mãe pode castigar fisicamente a criança, por exemplo, o que irá reduzir mais rapidamente a frequência da resposta.
Os comportamentalistas, especialmente os skinnerianos, não consideram válido o emprego de procedimentos punitivos como esse, inclusive porque eles podem instalar, por imitação, novos comportamentos indesejáveis.
 Outro modelo bastante aplicável é o condicionamento por reforço parcial, em que o reforçador é apresentado a cada conjunto de respostas.

Por exemplo:
 No experimento que pretende ensinar ao rato o comportamento de acionajr uma alavanca, bastaria que o mecanismo automático de liberação do alimento só funcionasse, a critério do pesquisador, a cada 5 vezes em que o animal respondesse corretamente. Rapidamente ele aprenderia a contar, digamos assim: tocaria 5 vezes na alavanca e imediatamente correria para o comedouro.
Uma variação pode ser feita, permitindo que o mecanismo funcione de modo aleatório, isto é, que o alimento seja introduzido na gaiola sempre que um número variável de repostas for emitido. Assim, o rato aperta a alavanca 5 vezes e obtém alimento; na próxima tentativa, o reforçador só é fornecido após 10 toques na alavanca; na outra, só após 7, e assim por diante, totalmente ao acaso.
 Os comportamentos assim instalados tornam-se persistentes, mantidos por longo tempo sem necessidade de estímulo reforçador.
Várias de nossas atitudes exemplificam isso.
 Nas primeiras vezes em que uma criança vai à escola ou à missa, os pais a premiam com um elogio ou um afago carinhoso, reforçador que vai sendo oferecido a intervalos irregulares ao longo da vida da pessoa. E o comportamento é mantido mesmo assim. A assiduidade, instalada por reforçamento parcial, torna-se um comportamento durável, altamente resistente à extinção.Desse modo, se aquela mãe disposta a extinguir a birra do filho precisar ceder, em algumas ocasiões, "mas só desta vez", como costumam dizer as mães, ela estará aplicando, a bem da verdade, um esquema de reforçamento parcial. A criança persistirá com a resposta inadequada por muito tempo ainda mesmo que a bala não lhe seja dada na maioria das vezes.
Outro esquema muito comum em nossa vida é o que emprega reforçadores secundários.
 O estudante também emite comportamentos cuja consequência são reforçadores secundários.
Basta percebermos que uma nota –afinal, um conceito escrito numa folha de papel - não aplaca nenhuma necessidade primária do organismo.
Mas uma boa nota atua como reforçador de comportamentos adequados, por exemplo, se a criança foi condicionada a receber um brinquedo ao passar de ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário